Nossos parceiros do prazer

O conto abaixo, é uma situação real enviada pelo @casaljovemabert

Diarista com serviço completo

Na época em que morávamos na grande São Paulo, eu trabalhava no período noturno e minha esposa trabalhava no período do dia como recepcionista de um salão de beleza.
Como já é de se imaginar, devido a termos horários diferentes, nossa convivência era um pouco distante, comíamos fora e quase não tínhamos tempo para a casa, por isso contratávamos diaristas, porém com o tempo se tornou inviável devido ao alto custo, por isso pesquisamos com os vizinhos uma opção mais rentável e acabamos descobrindo uma vizinha que fazia faxinas.
Conversamos com ela e ela aceitou a proposta de ir à nossa casa para fazer uma faxina durante o dia seguinte.
Assim que saímos do apartamento recebi uma bronca da minha esposa que percebeu o quanto eu fiquei interessado na vizinha, mas quem não ficaria, ela tinha o corpo bronzeado, cerca de 24/25 anos, olhos castanhos, cabelo preto até a cintura, seios enormes e uma bunda que me deixou maluco. Quando chegamos em casa fizemos um sexo gostoso no chuveiro e eu fui trabalhar. Fiquei a noite inteira pensando no corpo delicioso daquela morena e mal consegui me concentrar.
Quando cheguei em casa, no dia seguinte, minha esposa já havia saído para o trabalho, como de costume, sentei na cozinha e fui tomar meu café da manhã, quando ouvi a campainha e levando em consideração a hora, presumi que seria a vizinha, meu coração já disparou, só de pensar em ver aquela gostosa na minha porta.
Quando abri o portão, lá estava ela, vestia uma calça de ginástica, daquela bem colada e uma camisa azul, com um decote maravilhoso, que deixava o brilho daqueles seios fartos à mostra.
Recebi-a com muita educação e ela já se pôs a realizar as tarefas da casa.
Decidi que era hora de dormir um pouco, subi até meu quarto e tive que ser forte para não pensar naquela morena. Mas só consegui dormir, depois de me masturbar pensando nela.
Acordei à tarde desci para ver como ela estava e lá estava ela, na cozinha limpando o fogão. Juro que tentei me segurar, mas fui até lá, me sentei na mesa e assim que vi aquela bunda perfeita na minha frente, meu cacete ficou vibrando de vontade. Ela percebeu minha respiração ofegante e o volume que crescia entre as minhas pernas, me deu um sorrisinho com cara de safada.
Eu percebi uma certa insinuação, mas procurei me conter para não interpretar mal e acabar fazendo besteira, fiquei na cozinha comendo um lanche e observando aquela deusa. A gota d'água foi quando ela se abaixou para limpar o forno e ficou com a bunda apontada para mim, eu decidi que era hora de agir.
Passei por ela e dei uma passada de mão, meio que na inocência, para saber qual seria sua reação e ela soltou um gemido gostoso de tesão, então eu não me segurei, fui até ela e a agarrei por trás, encaixando seu quadril no meu. Ela se levantou se virou para ficar de frente para mim e eu pude encarar de frente aqueles olhos brilhantes e cheios de desejo, já parti para o beijo e ela correspondeu muito bem, eu apertei aquele traseiro firme e carnudo e com força, coloquei o corpo dela colado no meu. Ela se desmanchou de prazer, comecei a beijar seu pescoço e desci até os seios fartos e quentes, tirei sua blusa e me admirei com a visão daqueles peitos redondos e perfeitos.
Tirei seu sutiã e comecei a mamar naqueles peitos que desejei por tanto tempo, mordisquei o biquinho dos seios, enquanto ela apalpava meu pau, que a esta hora já estava quase rasgando a calça. Foi quando ela ergueu minha cabeça, que estava colada nos seus peitos, me deu um beijo rápido na boca e já se pôs de joelhos. Juro que fiquei louco, quando ela abriu o zíper, viu meu cacete duro como aço bem na sua frente. 
Ela começou com lambidas longas que iam da base ate a ponta e depois abocanhou meu caralho, com a sede de uma puta, a destreza daquela mulher no boquete, foi algo sem igual. Eu achei que ia gozar só naquela chupada incrível, agarrei seus cabelos e colocava com força o pau todo dentro da sua garganta e ela como uma boa submissa aceitava tudo e ainda queria mais.
Puxei-a pra cima e abaixei sua calça, quando passei a mão sobre a bucetinha, por cima da calcinha, percebi que estava toda molhada e só esperando meu cacete. Coloquei-a de costas para mim apoiada com uma das pernas sobre a pia, puxei a calcinha para o lado e coloquei meu pau bem devagarinho, para vê-la se contorcer de tesão e o calor daquela mulher me deixou maluco. Agarrei-a gentilmente pela garganta e fui até o fundo, ouvindo seus gemidos de prazer, fui cada vez mais fundo e forte naquela gostosa. Depois coloquei ela de joelhos em uma das cadeiras e comi aquele rabo, como um animal selvagem em cima de sua presa indefesa. Ouvia ela gemer e pedir cada vez mais, então coloquei a mão em cima da sua vagina e comecei a estimular seu clitóris. Foi aí que ela gemeu e gritou de tesão, enquanto eu a estimulava, fui metendo cada vez mais forte, até que vi ela quase desmaiar naquela cadeira, ela desceu com as pernas trêmulas e se ajoelhou, para terminar bebendo toda a minha porra. Eu não deixei ela perder nem uma gota, quando estava para gozar, coloquei bem fundo e soltei um jato direto dentro da garganta, ela afastou um pouco e eu terminei colocando o resto sobre sua boquinha aberta, que ela tratou de engolir sem medo. Só depois percebi que era hora de tomar um banho e fingir que nada aconteceu. 
Depois, minha mulher acabou descobrindo, ficou bastante enciumada, mas em uma outra ocasião até tivemos uma sessão de sexo incrível nós três, mas isto já é assunto para outro relato! ;)

Abaixo, uma foto nossa. Em breve, nova situação vivida por nós.


Comente, queremos saber o que você achou.

Diarista, esta fez o serviço completo!!!

O conto abaixo, é uma situação real enviada pelo @casaljovemabert

Diarista com serviço completo

Na época em que morávamos na grande São Paulo, eu trabalhava no período noturno e minha esposa trabalhava no período do dia como recepcionista de um salão de beleza.
Como já é de se imaginar, devido a termos horários diferentes, nossa convivência era um pouco distante, comíamos fora e quase não tínhamos tempo para a casa, por isso contratávamos diaristas, porém com o tempo se tornou inviável devido ao alto custo, por isso pesquisamos com os vizinhos uma opção mais rentável e acabamos descobrindo uma vizinha que fazia faxinas.
Conversamos com ela e ela aceitou a proposta de ir à nossa casa para fazer uma faxina durante o dia seguinte.
Assim que saímos do apartamento recebi uma bronca da minha esposa que percebeu o quanto eu fiquei interessado na vizinha, mas quem não ficaria, ela tinha o corpo bronzeado, cerca de 24/25 anos, olhos castanhos, cabelo preto até a cintura, seios enormes e uma bunda que me deixou maluco. Quando chegamos em casa fizemos um sexo gostoso no chuveiro e eu fui trabalhar. Fiquei a noite inteira pensando no corpo delicioso daquela morena e mal consegui me concentrar.
Quando cheguei em casa, no dia seguinte, minha esposa já havia saído para o trabalho, como de costume, sentei na cozinha e fui tomar meu café da manhã, quando ouvi a campainha e levando em consideração a hora, presumi que seria a vizinha, meu coração já disparou, só de pensar em ver aquela gostosa na minha porta.
Quando abri o portão, lá estava ela, vestia uma calça de ginástica, daquela bem colada e uma camisa azul, com um decote maravilhoso, que deixava o brilho daqueles seios fartos à mostra.
Recebi-a com muita educação e ela já se pôs a realizar as tarefas da casa.
Decidi que era hora de dormir um pouco, subi até meu quarto e tive que ser forte para não pensar naquela morena. Mas só consegui dormir, depois de me masturbar pensando nela.
Acordei à tarde desci para ver como ela estava e lá estava ela, na cozinha limpando o fogão. Juro que tentei me segurar, mas fui até lá, me sentei na mesa e assim que vi aquela bunda perfeita na minha frente, meu cacete ficou vibrando de vontade. Ela percebeu minha respiração ofegante e o volume que crescia entre as minhas pernas, me deu um sorrisinho com cara de safada.
Eu percebi uma certa insinuação, mas procurei me conter para não interpretar mal e acabar fazendo besteira, fiquei na cozinha comendo um lanche e observando aquela deusa. A gota d'água foi quando ela se abaixou para limpar o forno e ficou com a bunda apontada para mim, eu decidi que era hora de agir.
Passei por ela e dei uma passada de mão, meio que na inocência, para saber qual seria sua reação e ela soltou um gemido gostoso de tesão, então eu não me segurei, fui até ela e a agarrei por trás, encaixando seu quadril no meu. Ela se levantou se virou para ficar de frente para mim e eu pude encarar de frente aqueles olhos brilhantes e cheios de desejo, já parti para o beijo e ela correspondeu muito bem, eu apertei aquele traseiro firme e carnudo e com força, coloquei o corpo dela colado no meu. Ela se desmanchou de prazer, comecei a beijar seu pescoço e desci até os seios fartos e quentes, tirei sua blusa e me admirei com a visão daqueles peitos redondos e perfeitos.
Tirei seu sutiã e comecei a mamar naqueles peitos que desejei por tanto tempo, mordisquei o biquinho dos seios, enquanto ela apalpava meu pau, que a esta hora já estava quase rasgando a calça. Foi quando ela ergueu minha cabeça, que estava colada nos seus peitos, me deu um beijo rápido na boca e já se pôs de joelhos. Juro que fiquei louco, quando ela abriu o zíper, viu meu cacete duro como aço bem na sua frente. 
Ela começou com lambidas longas que iam da base ate a ponta e depois abocanhou meu caralho, com a sede de uma puta, a destreza daquela mulher no boquete, foi algo sem igual. Eu achei que ia gozar só naquela chupada incrível, agarrei seus cabelos e colocava com força o pau todo dentro da sua garganta e ela como uma boa submissa aceitava tudo e ainda queria mais.
Puxei-a pra cima e abaixei sua calça, quando passei a mão sobre a bucetinha, por cima da calcinha, percebi que estava toda molhada e só esperando meu cacete. Coloquei-a de costas para mim apoiada com uma das pernas sobre a pia, puxei a calcinha para o lado e coloquei meu pau bem devagarinho, para vê-la se contorcer de tesão e o calor daquela mulher me deixou maluco. Agarrei-a gentilmente pela garganta e fui até o fundo, ouvindo seus gemidos de prazer, fui cada vez mais fundo e forte naquela gostosa. Depois coloquei ela de joelhos em uma das cadeiras e comi aquele rabo, como um animal selvagem em cima de sua presa indefesa. Ouvia ela gemer e pedir cada vez mais, então coloquei a mão em cima da sua vagina e comecei a estimular seu clitóris. Foi aí que ela gemeu e gritou de tesão, enquanto eu a estimulava, fui metendo cada vez mais forte, até que vi ela quase desmaiar naquela cadeira, ela desceu com as pernas trêmulas e se ajoelhou, para terminar bebendo toda a minha porra. Eu não deixei ela perder nem uma gota, quando estava para gozar, coloquei bem fundo e soltei um jato direto dentro da garganta, ela afastou um pouco e eu terminei colocando o resto sobre sua boquinha aberta, que ela tratou de engolir sem medo. Só depois percebi que era hora de tomar um banho e fingir que nada aconteceu. 
Depois, minha mulher acabou descobrindo, ficou bastante enciumada, mas em uma outra ocasião até tivemos uma sessão de sexo incrível nós três, mas isto já é assunto para outro relato! ;)

Abaixo, uma foto nossa. Em breve, nova situação vivida por nós.


Comente, queremos saber o que você achou.

4 comentários:

  1. Ela começou com lambidas longas que iam da base ate a ponta e depois abocanhou meu caralho, com a sede de uma puta, a destreza daquela mulher no boquete, foi algo sem igual. http://www.pulsionerotica.com/video/1131_Dani-Daniels-vs-Two-Huge-BBC-BLACKED Eu achei que ia gozar só naquela chupada incrível, agarrei seus cabelos e colocava com força o pau todo dentro da sua garganta e ela como uma boa submissa aceitava tudo e ainda queria mais.

    ResponderExcluir